Cabrito Assado
https://www.instagram.com/finchristoforidis/

Alleluia, alleluia!

SABER COMER TAMBÉM É UMA ARTE

Durante toda a minha vida tive o prazer de estar presente em muito jantares de família – Natal, Páscoa… Domingos. Nestes eventos culinários, testemunhei os mais jovens a fazer perguntas sobre como confecionar os pratos portugueses que nos eram apresentados. Esta observação deu origem ao segmento d’ A Mesa da Avó que está disponível em todas as edições da Luso Life. Tivemos o prazer de passar tempo com cinco avós maravilhosas que nos abriram a porta, partilharam as suas receitas e permitiram-nos fotografar todo o processo (também ajudámos a comer as suas saborosas criações). Para a Edição 006 decidimos dar descanso às mulheres e encontrámos um avô que estava disposto a cozinhar… e estava delicioso!


Cabritinho do monte sabe sempre bem, mas há altura própria para se comer, até a matéria prima para a confeção tem a sua qualidade acrescida na altura própria, é como a fruta cada uma na sua época, podemos considerar o cabrito uma carne de festas, sendo a principal festa a Páscoa. Domingo de Páscoa tem um significado muito importante, a retoma da alimentação a um ritmo normal, depois de terminar o jejum que os católicos respeitam  durante a Quaresma, que tem inicio na quarta-feira de Cinzas, uma prática que obrigava a que se comesse peixe durante os quarenta dias que separavam o Carnaval da Páscoa, mais tarde passou o jejum a ser obrigatório apenas às sextas-feiras e a tradição mantém-se em quase todas as regiões do país.
No Minho é uma tradição comer-se cabritinho no Domingo de Páscoa, mas o cabrito não é só da Páscoa, é também dos casamentos e outras festas, mas a melhor altura para se comer o verdadeiro cabritinho é sem dúvida na altura da Páscoa, podemos considerar o cabritinho assado o verdadeiro ícone da gastronomia nacional.  
Deixo uma sugestão para todos os leitores, por favor quando não for cabrito não lhe chamem tal nome, acabam por estragar duas coisas, o animal que lhe trocam o nome e o prato em si.
Não se esqueçam, um bom vinho ajuda o cabrito a saber melhor.

Oven roasted goatling

Serves 6

INGREDIENTS

  • 4 dentes de alho 
  • 500 gramas de batatas pequenas para assar
  • 2 kg cabrito
  • 1 colher de chá de colorau
  • 2 folhas de louro
  • 100 ml de azeite
  • pimenta q.b.
  • sal q.b.
  • ramo de tomilho
  • 2.5 dl de vinho branco

INSTRUCTIONS

  1. Arranjar o cabrito e barrar com a seguinte mistura: picaros alhos, e juntar 100 ml de azeite o colorau, 1 decilitro de vinho branco e temperar com sal grosso e pimento branca.
  2. Colocar o cabrito, assim como um ramo da tomilho e o louro, e deixar ficar assim durante 24h em local fresco.
  3. No dia seguinte regar o cabrito com o restante vinho, dispor à volta as batatas e temperar com sal e pimenta.
  4. Levar a assar ao forno, regar de vez em quando com o molho  que se  vai formando.
  5. Acompanhar com grelos salteados  

INTRODUÇÃO: DAVID GANHÃO
TEXTO: AUGUSTO BANDEIRA
FOTOS: FIN CHRISTOFORIDIS

Cabrito Assado
Cabrito Assado
Cabrito Assado
Cabrito Assado
Cabrito Assado
Cabrito Assado
Cabrito Assado
Cabrito Assado
Cabrito Assado
Cabrito Assado
Augusto Bandeira-Cabrito Assado
Cabrito Assado

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Newsletter